Buscar
  • BlogDraRubert

Como lidar com a preguiça?


Recebi esta pergunta de um seguidor aqui do blog/site e decidi responder por aqui.


Muitos me perguntam como consigo executar tantas coisas em um dia sem preguiça. A verdade é que ela ate pode estar presente, porque ter preguiça é normal, mas, uma sugestão que eu sigo rigorosamente é ter um cronograma de planejamento para a vida.

O nosso cérebro é uma máquina em constante movimento, e na verdade ele também possui necessidades de pausa. O córtex cerebral precisa que o sangue circule gradualmente, produzindo recargas indispensáveis para o bom funcionamento da capacidade neural.

Muitas vezes ocorrem no sono, fruto da própria atividade cerebral, que se aproveita de períodos de baixa para estabelecer algumas conexões das quais precisa para se recompor.

Por outro lado, a preguiça em exagero conduz à inatividade prolongada. Esta, por sua vez, provoca efeitos nefastos no corpo humano, como se fosse atrofiando as potencialidades do ser humano.


Identifique se realmente é preguiça, ou é simplesmente o corpo se acostumando com o ritmo que imprimimos nele. Logo você verificará que estará trabalhando bem com períodos de tempo para cortar o “momento relax” e retornar à ativa, ou seja, uma vida mais produtiva.



Ocorre que os ocidentais costumam estabelecer cada vez mais metas e desejam realizá-las cada vez em menos tempo - almejando o êxito, relacionando ao objetivo mencionado parecer ser mais penoso e difícil do que realmente o é. Parecendo inatingível.



E aí. Pronto. Você nomeou ídolos, começa a olhar aqueles que alcançaram algo a mais, ou receberam alguma facilidade a mais da vida. O lance não é ver o que estas pessoas têm/são. Mas você analisar o que você FAZ. Especialmente, quantas vezes você programou mal a sua meta em relação às suas ações e como você deixou de reprogramar o tempo em razão das vezes que você mesmo não cumpriu o programado.



Essa perda de entusiasmo e a falta de paciência os fazem criar vícios de procrastinarem. Isso se relaciona muito mais com o foco do que com os nossos objetivos (ou perdidos, dispersos em comodidades fáceis e líquidas) do que efetivamente com o que chamamos de preguiça.


Por isso falei inicialmente nos ocidentais. Porque para os orientais, a ideia de que grandes conquistas demandam grandes esforços (ou grandes períodos de tempo dedicado a elas) é algo instintivo e óbvio. Quanto mais elevado for o seu objetivo, maior a dedicação naquele sentido. Eles sabem que tudo é fruto de um processo de amadurecimento e conquista.


Não levantem pela manhã e espere se sentir pronto. Programe uma dose inicial e se cobre ir aumentando isso ao longo das semanas e meses.

Portanto, abram os olhos: A preguiça pode ser controlada com a disciplina.




Percebam o processo e não o ato em si!


Até mais.

MRRC

12 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo